You are currently viewing Setor de embalagens passa por forte digitalização

Setor de embalagens passa por forte digitalização

O processo de digitalização não é apenas a implementação de tecnologias digitais em negócios já existentes, mas sim questionar as lógicas de negócios existentes à luz das novas possibilidades oferecidas pelas tecnologias digitais mais recentes.

A indústria de embalagens também está passando por uma transformação profunda. As empresas do segmento estão sob pressão da concorrência, expectativa do mercado e novas marcas locais para reduzir os tempos de ciclo de novos produtos, desde o design da embalagem até a chegada às prateleiras.

A redução do tamanho dos lotes – antes acostumados com tamanhos colossais -, o crescimento contínuo da impressão digital e a necessidade de consistência de cores entre os visores físicos e online do produto exigem ferramentas de fluxo de trabalho mais eficientes. A competição de players tradicionais e emergentes também está se intensificando nas fábricas de embalagens em torno de produtos e serviços digitais.

As tendências digitais estão mudando a dinâmica na cadeia de valor da embalagem. Todas as partes interessadas, desde proprietários de marcas e designers de embalagens, impressoras e conversores, até fabricantes de ferramentas e máquinas, precisam se adaptar e, ao mesmo tempo, identificar oportunidades adicionais de crescimento.

Resíduos ao longo da cadeia de valor da embalagem

Em geral, a cadeia de valor da embalagem de hoje permanece segmentada e mal interconectada. O know-how de designers de embalagens, especialistas em pré-impressão, impressores, conversores, fabricantes de ferramentas e fabricantes de máquinas é desconectado em silos, cada etapa sendo realizada sem uma visão de ponta a ponta das restrições nos outros segmentos da cadeia de valor.

Quando os designers concebem um novo pacote, faltam informações cruciais sobre o processo que lhes permitiriam levar em consideração as operações posteriores, como a preparação de ferramentas e de trabalho. Pior ainda, alguns atores na cadeia de valor tiram proveito dessa estrutura de conhecimento arraigada para cobrir suas próprias ineficiências.

Como consequência, os proprietários das marcas demoram entre 6 meses e 2 anos desde a especificação da embalagem inicial até a entrega dos produtos embalados aos seus clientes.

Além de reduzir o tempo de entrada no mercado, os proprietários de marcas também buscam ganhos de custo e eficiência. O potencial para reduzir o desperdício é alto: até um terço dos recalls de produtos alimentícios se devem a erros de arte, por exemplo, devido a informações incorretas ou ausentes sobre alérgenos.

Repetidamente, em muitos setores diferentes, a digitalização provou ser um motor poderoso quando se trata de reduzir o desperdício nas cadeias de valor, quebrando silos de informações e proporcionando maior transparência. A indústria de embalagens deve seguir a mesma tendência.

Resíduos nas fábricas

Voltando-se para fábricas de embalagens, impressoras e conversores estão enfrentando sua parcela de desafios: aumento de preço e pressões de entrega, tamanhos de lote decrescentes, maior demanda por consistência de cores em muitos processos de impressão diferentes, para citar apenas alguns. Impressoras e conversores estão trabalhando ativamente para reduzir os recursos gastos e evitar reclamações de clientes.

Eles precisam de meios mais eficientes para automatizar os fluxos de trabalho da planta e do trabalho e exigem sistemas de controle de qualidade eficientes em cada etapa do processo. Ao mesmo tempo, os conversores também precisam otimizar o desempenho do equipamento, aumentar a produtividade e evitar paradas inesperadas.

A maioria dos requisitos acima têm uma coisa em comum: a necessidade de acesso onipresente às informações relevantes. A Internet das Coisas (IoT) se tornou a principal ferramenta de mudança neste sentido – as máquinas estão cada vez mais conectadas, e, portanto, consegue-se ter um controle muito melhor de todo o processo industrial.

Mais uma vez, a digitalização é um catalisador poderoso para a melhoria do trânsito e compreensão de informações distintas, levando à criação de valor em todo o segmento.

Fonte: G1