Uso de máscaras vai ser obrigatório no transporte público de SP a partir de 4 de maio

Uso de máscaras vai ser obrigatório no transporte público de SP a partir de 4 de maio

Medida será obrigatória para passageiros da CPTM, EMTU, Metrô, ônibus, táxis e carros de aplicativo.

Os usuários do transporte público de São Paulo serão obrigados a usar máscaras a partir da próxima segunda-feira (4) para combater o avanço do coronavírus. A medida é válida para passageiros das linhas da Companhia Paulista Metropolitana de Trens (CPTM), Metrô, ônibus rodoviários, interestaduais e no município de São Paulo. A medida também será válida para táxis e carros de aplicativos na cidade de São Paulo.

Um decreto da Prefeitura de São Paulo e outro do governo do estado sobre a obrigatoriedade serão publicados no Diário Oficial desta quinta-feira (30). O governo já recomendava o uso de máscaras em todo o estado.

“A partir do dia 4 de maio será obrigatório o uso de máscaras no transporte público, no transporte coletivo, sob a administração do governo do estado de São Paulo e da prefeitura [São Paulo]. E, eu tenho certeza que essa medida será seguida também por decretos municipais dos demais prefeitos do estado de São Paulo para tornar obrigatório o uso de máscaras”, afirmou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

A fiscalização deverá ser feitas pelas empresas, sejam públicas ou privadas. Caso seja encontrada alguma irregularidade as empresas serão advertidas por escrito e, em caso de reincidência, serão multadas pela Artesp.

Os passageiros que descumprirem as regras também serão advertidos. “A advertência será verbal, ela não será escrita, será verbal. Não vejo porque alguém gostaria de não usar máscaras e expor sua própria saúde e a saúde dos outros”, completou Doria.

Questionado sobre o endurecimento de regras durante a quarentena, já que o estado está com índice de isolamento baixo, o governador disse que já está fazendo isso com a obrigatoriedade das máscaras. “Se a área de Saúde recomendar novas medidas, nós não teremos nenhuma hesitação em adotar.”

De acordo com o prefeito Bruno Covas, a população deve se acostumar com o uso da máscara para impedir o avanço da doença. “Muitas pessoas podem reclamar do incomodo de usar uma máscara, mas ele é pequeno em relação ao benefício que ela traz do ponto de vista sanitário de propagar o vírus na cidade e no estado.”

Segundo o prefeito de São Paulo, as empresas de ônibus serão multadas em R$ 3.300 por dia, para cada coletivo, se tiver pelo menos um passageiro sem máscara.

Mortes
O estado de São Paulo registrou 224 novas mortes por coronavírus em 24 horas e o total subiu para 2.049, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde divulgados nesta terça-feira (28). Já são 24.041 casos confirmados da Covid-19 no estado.

O número de mortes em um dia é o maior já registrado desde o início da epidemia, e representa aumento de 12% em relação aos dados da segunda-feira (27), quando eram 1.825 mortes no total. Já o número de casos confirmados aumentou 11% em relação ao dia anterior.

O estado já havia registrado 211 mortes em 24h na última quarta-feira (22), mas as autoridades de saúde afirmaram que o número elevado se justificava em parte por algumas notificações atrasadas durante o feriado prolongado. Nos dias seguintes, os registros de mortes em 24h se mantiveram abaixo de 200.

“Como nós não temos nenhuma fila do ponto de vista de testagem isso significa que são pacientes que, de fato, foram confirmados e foram a óbito por agora”, afirmou o secretário estadual da Saúde José Henrique Germann em coletiva de imprensa nesta terça-feira.

A ocupação de leitos em todo estado é de 61,65% nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 44,5% nas enfermarias. Já na Grande São Paulo, que concentra a maior parte dos casos, a ocupação da UTI é de 81% e chega a 70% na enfermaria.

Interior
O menor número de casos e mortes pela Covid-19 no interior do estado de São Paulo em relação à capital fez com que alguns municípios publicassem decretos para liberar algumas atividades comerciais.

“Nós percebemos que existe uma sensação no interior de que ele é protegido e o que acontece aqui não vai acontecer no interior. Isso não é verdade”, disse o professor Carlos Fortaleza, professor da Unesp de Botucatu.

De acordo com o infectologista David Uip, coordenador do Comitê de Contingência do Coronavírus, essa sensação se deve ao fato de a doença chegar com cerca de duas semanas de atraso fora da Região Metropolitana.

“Há uma sensação no interior, em alguns locais, que a epidemia não chegou. Como o professor Fortaleza deixou claro, há uma difusão evidente da epidemia pro interior e ela está atrasada em relação ao município de sp, a área metropolitana, em mais ou menos duas semanas, por conta das medidas de confinamento e afastamento social que foram adotadas precocemente no estado de São Paulo”, afirmou Uip.

Segundo dados da secretaria, já são 141 municípios no estado com pelo menos uma morte pela doença, incluindo a capital. Quase metade do total de municípios em São Paulo já foi alcançada pela Covid-19. Das 645 cidades, 305 tiveram pelo menos um caso da doença.

Fechar Menu